LEIA
 » UM GRANDE
   "BARRETE"
 » SANTO ANTÓNIO
   E O PÃO DOS POBRES
 » A LUTA CONTRA
   O S.A.R.S.
 » EM OFF
 » CRÓNICA PICOENSE
 » Edições Anteriores
 

25º ANIVERSÁRIO
DA CRIAÇÃO DO ENSINO OFICIAL NO CONCELHO DAS LAJES DO PICO, NO SÉCULO XX

continuação da edição 775

Este estabelecimento de Ensino Particular, preparava com invulgar êxito os seus alunos que se deslocavam ao Faial, para prestarem provas de exame no Liceu e conseguiam sempre altas classificações.

Muitos deles hoje são médicos, engenheiros, arquitectos e advogados. Entretanto é oficializado o Ensino Particular daquele Externato e no último ano as provas dos exames liceais foram ali efectuadas e era seu Director o Pe. José Alves Trigueiro. Saliento que este estabelecimento de Ensino Particular, foi o primeiro do Pico, foi também o primeiro a ser oficializado e o primeiro lugar onde foi criado o Ensino Oficial por Portaria nº. 776/77 de 22 de Dezembro que teve lugar no ano lectivo de 1977/78.

Os antigos professores que tinham habilitações suficientes transitaram do antigo externato para a nova Escola e os restantes, passaram a exercer funções administrativas. O primeiro Presidente da Comissão Instaladora foi o Dr. Manuel Silveira Carvão Júnior. Em 1985 é criada uma turma do Ensino Secundário Nocturno. Com a institucionalização nos Açores das Escolas Básicas Integradas, através do Decreto Legislativo Regional nº. 2/98/A, de 28 de Janeiro, o concelho das Lajes do Pico, com menos de 7 500 habitantes, tem uma Escola Básica Integrada/Secundária, englobando todos os estabelecimentos da Educação Pré-Escolar e dos Ensinos Básico e Secundário da rede oficial, bem como a Educação Especial, o Ensino Recorrente de Adultos e a Educação Extra-Escolar, segundo o artigo 2 do Decreto Regulamentar Regional nº. 10/98/A. A Escola que deveria ter o nome do patrono do Externato, General Lacerda Machado, por motivos alheios à vontade dos Lajenses é somente conhecida como Escola Básica Integrada e Secundária das Lajes do Pico e no momento debate-se com a falta de espaços, quer no interior (diminuto número de salas de aula para o normal funcionamento das diversas turmas, salas de convívio, etc.) quer no exterior, uma vez que os alunos não dispõem de espaços reservados para os recreios. Todos estes factores carenciais tornam imperiosa e urgente a construção da nova Escola Básica e Secundária, como foi superiormente determinado.

Apesar da exiguidade do espaço, a Escola vem funcionando com a normalidade possível, embora em regime de desdobramento. Além das actividades curriculares, ou programáticas, existem actividades extracurriculares que compreendem áreas de desporto e artes, tais como o Coral Juvenil e os Clubes Escolares de Jornalismo, Música, Europeu e Desportivo, uma nova aposta para o desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem. Perspectiva-se a via profissionalizante e por isso foi criada uma turma do currículo alternativo para o 2º. Ciclo (5º. Ano) e outra do PROFIJ (Programa Formativo de Inserção de Jovens - 3º. Ciclo e Ensino Secundário nível III). Estão também instituídas a Associação de Pais, Associação Cultural e Associação de Estudantes. O Programa dos festejos das comemorações das Bodas de Prata, foram cuidadosamente elaborados e dele salientamos, as palestras, os convívios, os intercâmbios e o desporto.

O seu Conselho Directivo é constituído por, Olga Ávila Pacheco, Rosa Maria Soares da Costa e Ofélia Silva, que superintendem a educação de mais de dois mil alunos, distribuídos pelas seis freguesias que constituem o concelho das Lajes do Pico. (Os dados referidos em itálico, foram fornecidos por Olga Pacheco, que reconhecidamente agradecemos.)

Até para a semana e... HAJA SAÚDE



Copyright © 2003, VOICE Luso Canadian Newspaper Ltd. First Luso Canadian Paper to Jump on the Net! For more information contact [email protected]
 
Toronto,
14/Abril/2003
Edição 776

ANO XXIII

    Por: Paulo Luís Ávila

 

 

  Desenvolvimento - AW ART WORK