LEIA
 » OS NOVOS LEPROSOS!
 » LEMBRANÇAS
   DE FERREIROS
 » " ENCONTRO
   INESPERADO
    " C O N T O
 » PRODUZIR
   ELECTRICIDADE
 » EM OFF
 » FUTEBOL
   PROFISSIONAL
 » CRÓNICA PICOENSE
 » Edições Anteriores
 
As necessidades humanas
ÉDevemos saciar a fome do nosso povo, como já pregava São Tomas de Aquino em plena Idade Média, mas todo cuidado é pouco.

O programa ''Fome Zero'' do governo Lula, que ainda não saiu do papel, apesar da intensa publicidade nos meios de comunicação do Brasil, usando artistas famosos como avalistas deste programa que mais parece "balão de ensaio" de um governo que precisa se firmar e dizer para o que veio, está mexendo com o inconsciente de muitos. Alguns adversários acham que os petistas estão com fome é de cargos públicos e que existe briga de foice no partido. Particularmente, penso que a preocupação mais sensata sobre este assunto é a do bispo Dom Mauro Morelli, quando ele afirma que o melhor foco seria a política agrária, o novo rumo da economia e não só encher o bucho do povão. Devido a minha formação jornalística, fico me questionando sobre o lado psicológico dos fatos.

Outro dia, conversando com um amigo psicólogo e abordando sobre este programa "Fome Zero", este profissional, disse-me que muitos ainda pensam que a psicanálise é uma criação da burguesia e que o seu fundador, por ser judeu, visava sobremaneira o ganho monetário. Entretanto, existe uma história pitoresca com Freud que revela um pouco a sua preocupação com os famintos. É o caso de um intelectual que, deitado no divã numa sessão de análise, foi traído pela barriga roncando às alturas, com fome. De repente o mestre interrompe a terapia e devolve o dinheiro, dizendo que naquele exato momento prevaleciam as fantasias estomacais, e não a do inconsciente. Porém, foi Abraham Maslow quem melhor estudou de forma sistemática as necessidades humanas.

Segundo esse psicanalista judeu, norte americano, nascido no início do século XX, existe uma hierarquia nas nossas necessidades: fisiológicas, de segurança, social, de estima e de auto-realização. Na primeira, teríamos a questão dos alimentos, do frio e do sono. Na segunda estariam a estabilidade e da ordem. Na terceira a valorização do amor, da família e da amizade. Na quarta o de ser reconhecido num determinado grupo, destacando-se dos demais. No ápice estaria a auto-realização. Gandhi seria um exemplo perfeito, a sua missão política estava acima de tudo, em detrimento das demais necessidades: fez greve de fome, foi preso, mas continuou lutando contra os ingleses até conseguir a independência do seu país.

Quando Maslow falava de necessidades pessoais ele também se referia as de uma determinada sociedade. Ou seja, numa sociedade cujo padrão é de classe média, a segurança, o social e a estima prevalecem sobre as demais. Nos EUA, a grande maioria da população não tem uma preocupação exacerbada no que concerne ao fisiológico, tampouco à questão da auto-realização, mas o mesmo não acontece com a questão da estima. Agora mesmo, o nosso querido Popó, campeão mundial de boxe na categoria de peso pena, já morando nos Estados Unidos há seis meses, ameaça naturalizar-se norte-americano, caso não consiga patrocinadores dignos de sua fama. Motivo pelo qual os americanos detêm a liderança em termos de medalhas nas Olimpíadas.

Adotando essa linha de pensamento, acredito que o presidente Lula seja um homem que possa ser comparado ao Ganhdi, no que diz respeito à auto-realização. O mesmo diria em relação ao povo indiano e brasileiro, muito pobres, líderes mundiais neste setor, com um agravante para nós, a poupança na Índia supera a do Brasil. Nós ganhamos em riquezas naturais e em corrupção. Sendo assim,o bispo dom Mauro tem razão: devemos saciar a fome do nosso povo, como já pregava São Tomas de Aquino em plena Idade Média, mas todo cuidado é pouco em relação às nossas necessidades de segurança, social e de estima.

A menos que todos os brasileiros se sintam como o presidente Lula, auto-realizados, o que está longe de acontecer.

* Paulo J. Rafael é jornalista, professor universitário e doutorando em Ciências Políticas e Administração Pública pela AWU- American World University of Iow



Copyright © 2003, VOICE Luso Canadian Newspaper Ltd. First Luso Canadian Paper to Jump on the Net! For more information contact [email protected]
 
Toronto,
5/Maio/2003
Edição 779

ANO XXIII

   
   
    * Paulo J. Rafael
   Direto do Brasil
   

 

 

  Desenvolvimento - AW ART WORK